feminismo2
Comportamento Destaque

Cenas da minha vida: Estou solteira, não estou disponível…

Sair para badalar nunca foi o meu forte, seja pela minha completa inabilidade para dançar e sensualizar, seja pela minha total incapacidade em ficar acordada após a meia noite. Porém, desde que fiquei solteira tive que incorporar – vez ou outra – a saidinha na agenda.

A primeira tentativa foi ótima! Me diverti e curti o lugar. Na segunda…. Fui e passei por uma situação tão bizarra que preciso comentar aqui. Senta que lá vem história!

Corta pra cena que eu e minhas amigas estávamos num lugar na OSCAR FREIRE (quem não é SP, é a rua mais chique da cidade) dançamos a noite inteira porque esse era nosso único objetivo, não estava na vibe da caça, sabe? Ainda to no processo de entender como é que funciona isso aí, esse negócio de sair beijando na balada… rs sou novata.

Pois bem, fomos abordadas a noite inteira por um cara bem MALA! Desses que força a barra pra conversar e não sabe admitir quando levou um fora… ele insistiu 1, 2, 3x em cada uma de nós e nada! Então no final da noite, quando a balada já estava entrando naquele ritmo de adeus, ele chegou na minha pessoa com um copo ENORME de vodka e eu obviamente recusei, porque a pessoa pra oferecer 500ml de vodka só pode estar mal intencionada né?

feminismo

Nesse momento ele soltou a célebre frase: Vocês mulheres são todas umas putas, vocês merecem se f***, vocês são péssimas!

Assim, nessa sequência mesmo, quase sem pausa para a vírgula… vomitou insultos em cima de mim como se eu tivesse a obrigação de, por estar solteira, lhe beijar e lhe oferecer minha nobre companhia.

Então vamos lá amiguinhos: SOLTEIRA sim, disponível como um objeto na prateleira de uma loja, JAMAIS. Como que em pleno 2017 – na verdade isso foi ainda em 2016, mas ok – um homem (o cara tinha fácil mais de 30 anos) ainda tem esse tipo de comportamento?? Como é que funciona a cabeça de um ser desses que entende que meu corpo está ali à sua disposição, e se eu não ceder ele tem o direito de me insultar com palavras?

Daonde é que ainda está faltando vir informação para as pessoas entenderem e aceitarem que o machismo existe sim, que a cultura do estupro ta aí na nossa rotina (eu acredito piamente que com mais alguns ml de álcool aquele cara chegaria a ser agressivo) e de fato começarem a apoiar o feminismo como movimento que vem para empoderar e nos fazer respeitadas??? A internet jorra esse tipo de assunto diariamente, será que ninguém lê??

Eu me senti ofendida por 1 segundo, de verdade. Depois olhei pra cara dele e saí andando… não posso deixar que aquilo ali se torne uma verdade na minha vida e muito menos omitir o que houve. Por isso resolvi escrever aqui e compartilhar… é uma coisa bem chata, bizarra, mas que necessita ser dita e dita mil vezes se for necessário, para que a gente aprenda a se defender desse tipo de situação.

Eu to solteira sim, eu sou livre sim, meu corpo, minhas regras, posso sair apenas para dançar e posso sair para encontrar alguém legal. Quem decide isso, sou eu, não os homens.

Ainda preciso fazer a segunda parte desse texto, que é sobre os caras legais que a gente topa por aí, e por sermos solteiras também acabam pensando que a gente aceita qualquer coisa. Mas fica pra próxima ok?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>