DSC05786
Comportamento Destaque

Agora sim, vamos falar dos 30 anos

Fiz 30 anos há 1 ano atrás, 30/05/2016. Em Paris. O lugar mais lindo do mundo (é um clichê, sim, mas é real) e que me curou de um monte de coisas chatas que estavam me rodeando naquele tempo e vocês sabem, ta tudo aqui no blog.

Fiz 30 anos e o medo, o desespero, o pânico da vida não estar como eu imaginava quando tinha 17, passou. Eu dei uma surtada boa, foram meses malucos e eu conversei com vááárias pessoas sobre essa virada que a gente tem quando percebe que está adulta. Falei que escreveria sobre isso aqui no blog, mas fato é que eu ainda não tinha condições de falar sobre os 30… Eu estava começando a conhecê-los, era cedo.

DSC05786

Mas agora eles estão de partida, então vamos falar sobre!

Hoje eu faço 31 anos, e os últimos 365 dias foram demasiadamente intensos e absolutamente diferentes de tudo o que eu poderia sonhar para os meus 30 anos de vida. E sabe… foram incríveis!

Fazer 30 anos mudou a minha visão de mundo num grau tão absurdo que eu me pergunto como é que eu vivi até então?” Muitas amigas me falaram isso e eu contava os minutos para ter essa sensação de amadurecimento. Por incrível que pareça, ela veio com o simples fato de abrir o olho no dia do meu aniversário ano passado.

Virei uma chave ao longo da noite e acordei sofrendo menos, comprando menos briga, selecionando melhor quem anda ao meu lado e onde vale a pena investir tempo.

Numa das vezes que falei sobre essa loucura dos 30 (postei no meu facebook), recebi o seguinte comentário “foi o ano mais louco da minha vida, eu estava realmente cansada de tentar ser perfeita e não conseguir. Aí veio o dia do meu aniversário e todas aquelas preocupações se foram porque descobri que me amo e que a minha vida vai caminhar no ritmo que eu quiser e for melhor.” Achei que era exagero, até que vivi a mesmíssima situação e foi Ó, UMA LOUCURA MARAVILHOSA!

Fazer 30 anos me trouxe um desprendimento de valores materiais, de comportamentos sociais e padrões que só agora entendo que não eram meus, mas do meio em que eu vivia e naturalmente eu absorvi aquilo sem ponderar.

Ponderar. Pesar. Pensar. Três palavras que fazem toda diferença e são presença constante na minha vida hoje em dia, e certamente não eram até 29 de maio do ano passado. CLARO, que eu devo muito à terapia, rs, mas é uma segurança com o corpo e uma confiança de opinar sobre o que acha certo, ou melhor ainda, uma disposição pro silêncio… que eu me sinto a mais madura do planeta quando vejo que to quieta na hora certa! Hehehehe

Hoje em dia não me pressiono mais para ser CEO de alguma grande companhia, ter filhos, uma casa com quintal e cachorro. Se esse é meu sonho romântico? Sim, totalmente! Eu ainda me vejo uma romântica disfarçada de coração gelado, mas o que muda é que vivo bem se isso acontecer, e também sigo em frente de boa, se não.

Nesse último ano eu vivi umas coisas que não sonhei, não quis , não planejei e nem nos piores ou melhores sonhos imaginei que pudesse acontecer… Simplesmente deixei a vida me levar no melhor estilo Zeca Pagodinho, sem drama e peso na consciência. No final o resultado é tão positivo que, se me fosse dada a chance de voltar no tempo, eu faria e x a t a m e n t e as mesmas escolhas!

Hoje o ciclo dos 30 se encerra e eu vou MORRER de saudade! Saudade de todo esse aprendizado incrível que eu vivi e do frio na barriga que a gente sente quando está diante do desconhecido. Da “juventude” que ainda temos ao pronunciar a idade… Porque sei lá, pode parecer loucura, mas AGORA eu acho que o bixo pegou e eu to adulta de verdade! São 30 e 1. TRINTA E UM gente!

Amadurecer não é fácil… mas é gratificante e pode ser leve, tudo depende da sua disposição.

Foi o máximo ter 30, mas que agora venham os 31 né não?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>