Comportamento Destaque

Um dia que eu tomei café no starbucks e aprendi sobre amor ao trabalho….

Vocês certamente sabem duas coisas a meu respeito: que eu amo café e que eu passei por uma transição de carreira, deixando o mundo corporativo há 4 anos.

Pois então, hoje eu até penso em quem sabe, talvez, se a vaga for legal, mandar uns CV aí pra me ver como profissional competitiva, mas na prática nada acontece inclusive porque eu sigo aqui, empreendendo.

E aí esses dias fui convidada pelo Starbucks do São Bernardo Plaza Shopping para uma experiência de degustação de café, normal dentro dessa rotina de blogar e etc. Sempre tem um evento ou outro para ir…

A grande surpresa ficou pelo amor que eu vivi ali naquelas 2hs e que me fizeram pensar em como sim, ainda é possível que existam empresas que engajam seus colaboradores e criam times de verdade, gente que veste a camisa e vende aquela ideia como se fosse sua!

Confesso que quando eu dou de cara com esse tipo de funcionário me dá até inveja, porque na única experiência que eu tive nesse nível enquanto estava no mundo jurídico, a equipe trocou de gestão e eu rodei… todo meu amor e empenho foram desperdiçados de um dia pro outro. Imaginam como fiquei e porque depois de um tempo não conseguia mais cogitar bater cartão?

As meninas que me atenderam e serviram a degustação estavam tão, mas tão empenhadas e tinha brilho no olhar quando falavam da “Star” (maneira carinhosa dos funcionários falarem da empresa) que eu praticamente pedi para me darem uma vaga ali e eu poder viver aquilo também!

Tudo isso para dizer que, quando a gente consegue encontrar propósito no que faz, a vida fica mais simples, leve e essa sensação se propaga no espaço, alcança o cliente, alcança os amigos que te veem feliz, alcança o mundo… e, além disso, por mais que eu ame empreender, sei que não é para todos, que muita gente ainda quer a “segurança” da CLT, então… vai fundo! Talvez sua insatisfação hoje seja reflexo de uma empresa que não está alinhada com seus valores mas isso é simples de arrumar: Vá em frente e busque outra oportunidade.

Eu vivo conversando com pessoas e muitas delas reclamam dos empregos, dos chefes, do mundo corporativo em si… mas e se você for feliz servindo café? E se você for feliz fazendo planilhas e controles financeiros?

TUDO BEM!

Apenas seja! Não adianta a gente só se lamentar… temos que querer aprender com quem tem tanto amor pelo trabalho porque é realmente admirável em 2018 ainda encontrar equipes engajadas desse jeito! E eu quero amar meu trabalho de uma forma tão sincera e intensa como aquele pessoal que me atendeu no Starbucks!

Fiquei encantada com o que vivi ali, para alem do café delicioso que provei, e espero que a Starbucks siga assim investindo em seus master coffee (todos eles são baristas!) e criando um modelo de negócio que deve ser replicado por todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *